quarta-feira, 6 de julho de 2011

Unknown

Sinto falta de minha calmaria. Eu era distraído e estava salvo, até que um dia acordei e cheguei aqui.
Agora tudo é correria, tudo é para ontem e a velocidade está cada vez maior. É gostoso sentir o vento bater em sua face espalhando suas bochechas e levantando as pupilas de seus olhos, mas isso não me aconteceu, eu somente imaginei a velocidade daqui a 40 anos.
Hoje estou aqui, escrevendo, ouvindo música, pensando no que tenho para amanhã, no que não tenho e até mesmo no que perderei ou ganharei; e nunca mais eu consegui ficar uma hora se quer calado, e minha consciência fica a me gritar, discordar e criar confusões mentais.

4 comentários:

¡¡¡Nadine!!! disse...

Não me orgulho, mas tenho pânico do silêncio. Quando não há nada mais fazendo barulho percebe minha ruidosa mente trabalhando. Dá certo alívio, mas dá tanto desgaste.
Queria pensar em nada, queria temer nada, queria preocupar com nada... queria querer nada!

mulher maravilha disse...

o silêncio me é agradável.. útil.
o tempo livre me faz falta.. muita mesmo.
acho que preciso de silêncio e tempo livre para meditar.

(...)

Rafaelle Brito disse...

muito bom saulo araujo :)

Henrique disse...

Não sei o que seria de mim sem o silêncio. Nada me agrada tanto. Esta correria do mundo atual, nos faz perder aquele tempo sozinho, de silêncio e reflexão. A tal da "calmaria".. =)