terça-feira, 20 de julho de 2010

Leve(dura).

Eu tenho algo leve
E não vejo a hora de partir
Por ai, dessa para uma outra, fermentando
Mas eu não sou leve. Tem só um resquício.
Já era. Tenho tanta sobra significante.
Tenho tanta sorte.
Mas, veja bem, eu não sou leve,
e ninguém é.
Menos ainda, quando inconsciente.


Eu sou a minha lição
Lição inacabada, por muito, mau esboçada
Minha lição sem solução
Adianta levarem numa explicadora
Se aquela pessoa só vai até o limite humano?
O que você quer: que façam pra você?
Ou quer aprender?
Pois bem,
até pensei que um tempo sem ajuda
poderia ajudar
Ledo engano
Se demorar, não consegirá calar o dano
Sou a lição exagerada, vasta
Do tipo que se fecha o caderno
e deixa pra vasculhar em casa
e enrola, enrola e não volta a tocar até o dia seguinte
Até se questiona e pensa nela,
mas, daí a ir até aquele amontoado de folhas
[Umas folhas já amarrotadas e abarrotadas].. não
E ela? Bem, continua não solucionada
Trata-se de uma lição inacabada
não de um dever de casa
Ainda tenho sono
Ainda não aprendi quase nada
em tão pouco tempo de aula
Tudo que consegui foram essas desculpas
Mas e se essa matéria for ser tomada?
Apresse - ela irá!
Num teste
surpresa
Como se fosse a primeira e a última
Como se a vida fosse a única carreira
Como se fosse lição
pra ser cobrada porque usada
E não ficará perdida pela estrada

E lição inacabada
pode ser corrigida?

Nenhum comentário: