quarta-feira, 28 de julho de 2010

[Contro] Verso.

Se você precisa de escapismo constante
Ou você é um monstro
Ou a sua sociedade é uma merda
exigente e intolerante.
Ou não,
viver não passa de meros palpites
De repente seja mais simples,
Sem ornato e enfeite:
Só evite o cinismo
E aceite a marca do ferrete
E terá alegria eterna(mente)
Tavez, até desconheça limite
E a alteração divertida
Entre o cuspe e o escarro
Muito menos a carência contrastante do equilíbrio
Deste só restou desgarro
De repente seja eu
Botando fé no socorro
E se ele fracassar, eu só corro
Não ando com caguete
Ando vestida de escárnio
Com um pensamento irrequieto
E o "Equilíbrio Distante" *
Que faz de morada, minha estante
E isso fica perto.
Não vai demorar,
mas venha sem se apressar.


***
Imaginação "madrugueira", quase sempre corriqueira.

* "Equilíbrio Distante" foi menção ao CD solo de Renato Russo, de músicas cantadas em italiano. (Vero!)

2 comentários:

Tio Patinhas disse...

Por acaso esse foi feito no bloco que anotações que sugeri? :D

Tela - Tê-la - 'Té lá. disse...

Foi encomenda de um prof. patologista, ele queria recitar para os calouros uma coisa assim, entre merdas e escarros.


Nada, a idéia central passou mesmo pelo bloco que sugeriu.