quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Um Fora!


Caro indivíduo de sexo provavelmente oposto ao meu, agradeço pela sua demonstração de interesse, seja ele espiritual, físico ou afetivo, e de coragem, pois estás a me cortejar de forma direta de acordo com as normas sociais indiretas vigentes comuns do século XXI. Mas, devo lhe informar antes que prossigas, e garanto que isso é apenas uma questão pessoal, e, portanto referente apenas ao meu ponto de vista e às minhas conclusões em relação ao cotidiano e à impressão que tenho de vossa senhoria. Isso inclui desejos possivelmente carnais que poderiam, numa situação hipotética, tornarem-se sentimentos mais profundos, alimentados por uma convivência, eu esperaria, pacífico e animado, resultando num possível (e torno a repetir, numa situação meramente hipotética) namoro. Então eu já ia lhe informado, apenas gostaria de reinterá-lo de minha conclusão, que se trata de não dar o primeiro passo nessa relação ainda inexistente. Trata-se apenas de uma opinião minha, em que você provavelmente não corresponde aos tipos físicos que me atraem, ou em outras palavras, que estimulem minha produção hormonal. Também gostaria de salientar que, não obstante, vossa senhoria não atende a certos caprichos correspondentes aos meus interesses culturais, como entretenimento e arte - isso inclui músicas. Sou leigo no assunto para poder analisar de forma mais adequada, mas suas aptidões intelectuais também aquém das minhas pretensões, e mais uma vez dizendo que não sou profissional na área, mas me parece que sua mente não está preparada para processar e responder à altura minhas necessidades diárias de troca de vocábulos sejam eles relevantes ou não, ou seja, mera conversação e convívio social. Para finalizar, gostaria de deixar claro que isso não é necessariamente uma crítica, apenas diferenças de capacidades e aptidões físicas e mentais, respectivamente, e que na minha posição de mera observadora, não posso fazer mais declarações profundas a respeito de vossa senhoria, e, portanto, peço-lhe que tente seu gracejo com outro indivíduo.

Um comentário:

Altair de Almeida Costa (Tachinha) disse...

Cadê o texto com fundo branco que estava aqui?