segunda-feira, 9 de abril de 2012

Desejo


Desejo-te entre meus braços num abraço sem fim a ponto de sufocar a carne e causar-lhe arrepios,
Desejo sentir o cheiro se seus cabelos cacheados caindo dobre meu rosto numa noite estrelada.
E por fim desejo somente ouvir sua voz a dizer: "vá se fuder!"

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

O estrondear das armas

Ilumine muitas lâmpadas e reúna-se ao redor de sua cama.
Empreste-lhe os seus olhos, o sangue quente e viverá.
Mas a Morte respondeu: Eu o escolho.
Portanto ele se foi e houve silêncio na noite de verão.
Silêncio e segurança, e os véus do sono.
Então, distante, o estrondear das armas.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A Perene Unção


“Tocando os ossos de Eliseu, reviveu” (2 Reis 13.21).
Como é que um homem pode chegar a este nível de aproximação de Deus?
Que estupenda unção foi esta que não permeou apenas a esfera do espírito, mas permaneceu até o plano físico?
Semelhantemente a Pedro, cuja sombra tocava nos enfermos e eles eram sarados.
Semelhante a Paulo, cujos lenços e aventais colocados sobre os enfermos podia curá-los.
Eliseu já há muito havia morrido. Seus ossos jaziam na terra. A sepultura, revolvida pela ação das intempéries, deixava à mostra aquele despojo material, humano.
No momento em que lançaram aquele soldado, morto na batalha, sobre a sepultura aberta, jamais imaginaram que era a sepultura de Eliseu.
E, mesmo que o soubessem, imaginariam jamais que tal virtude santa pudesse existir sobre ossos secos, mesmo sendo os de um grande profeta?
Este foi um dos maiores milagres das Sagradas Escrituras.
Este fato glorioso e insofismável transporta-nos à aurora da ressurreição, quando os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus e o Espírito Eterno que ressuscitou a Jesus, também nos vivificará para sermos semelhante a Ele.
Oh, glória inaudita! Oh, bondade infinita! Oh, esplêndido alvorecer! Oh, venturoso e sempiterno gozo!
O Deus que não pode mentir prometeu coisas esplendorosas para aqueles que o temem, para as almas que o amam.
Ossos secos com o poder radiante da ressurreição…
Que estranha graça! Que misterioso poder!
Foi por isto que Enoque, ao andar com Deus, deixou de existir nesta dimensão terrena e atingiu os páramos celestes.
Foi por isto que Paulo disse que preferia estar logo com Cristo, o que era incomparavelmente melhor.
Foi por isto que João Huss e Cevetto preferiram arder na fogueira, do que negarem sua fé.
É por causa disto que mártires modernos estão heroicamente entregando suas vidas, em vários países, por causa da pregação do Evangelho.
Era por isto que os mártires do Coliseu de Roma morriam glorificando a Cristo com a expressão encantadora, “Salve, Cristo, os que morrem te saúdam!”.
É por isto que Deus não é Deus de mortos e sim de vivos.
E o que é mais glorioso: o mesmo Deus de Eliseu existe até hoje e ainda é galardoador daqueles que O buscam.
Autor: Paulo de Aragão Lins

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Cinza





Não ria das minhas beteiras. Não ria da minha saída. Não fale nada, mas pense.
Nesse momento, o melhor a ser feito, é acomodar tudo do jeito que era.
Não chegou o tempo, chegou a chuva - e chegou sozinha.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Unknown

Sinto falta de minha calmaria. Eu era distraído e estava salvo, até que um dia acordei e cheguei aqui.
Agora tudo é correria, tudo é para ontem e a velocidade está cada vez maior. É gostoso sentir o vento bater em sua face espalhando suas bochechas e levantando as pupilas de seus olhos, mas isso não me aconteceu, eu somente imaginei a velocidade daqui a 40 anos.
Hoje estou aqui, escrevendo, ouvindo música, pensando no que tenho para amanhã, no que não tenho e até mesmo no que perderei ou ganharei; e nunca mais eu consegui ficar uma hora se quer calado, e minha consciência fica a me gritar, discordar e criar confusões mentais.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Triste, mas verdadeiro

Ele correu em sua direção como nunca havia corrido antes. A velocidade era tamanha que qualquer um duvidaria que ele fosse o maior sedentário que já se tinha ouvido falar.
Seu correr era desajeitado, nada havia nada de belo, chegava a ser cômico. Pernas longas e brancas, canelas grossas, um allstar surrado e um short que deixava suas coxas a mostra. Mas mesmo tendo tudo isso ele continuou a correr.
Sentia o coração saltar-lhe pela boca e engolia a seco a saliva de sua boca como se isso fosse manter o coração em pulsação mais tranquila. Além do jeito cômico em correr ele parecia ser estabanado e confuso, mas ele corria, corria e corria cada vez mais.
Mas então, como sempre há de acontecer algo de errado, pois além de cômico para correr, estabanado e confuso ele possuía uma pitada a mais de azar, ele tropeçou.
Seu tombo foi tamanho que virou três piruetas seguidas. Joelhos e cotovelos arranhados, o suor pingando no canto de suas sobrancelhas e um semblante tímido pelo que acabara de ocorrer. Continuou ao chão, somente se fez a força de sentar-se de pernas cruzadas como se fosse meditar. Olhou para a direita e para a esquerda, deu um pulo repentino e voltou a correr, não sabia mais para onde iria, mas sabia que estava a procurar algo em toda a sua correria. Então, ele correu.

sábado, 4 de junho de 2011

Vanitas vanitatum, et omnia vanitas

Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, vaidade das vaidades! Tudo é vaidade.
Que proveito tira o homem de todo o trabalho com que se afadiga debaixo do sol?
Uma geração passa, outra vem; mas a terra sempre subsiste.
O sol se levanta, o sol se põe; apressa-se a voltar a seu lugar; em seguida, se levanta de novo.
O vento vai em direção ao sul, vai em direção ao norte, volteia e gira nos mesmos circuitos.
Todos os rios se dirigem para o mar, e o mar não transborda. Em direção ao mar, para onde correm os rios, eles continuam a correr.
Todas as coisas se afadigam, mais do que se pode dizer. A vista não se farta de ver, o ouvido nunca se sacia de ouvir.
O que foi é o que será: o que acontece é o que há de acontecer. Não há nada de novo debaixo do sol.
Se é encontrada alguma coisa da qual se diz: Veja: isto é novo, ela já existia nos tempos passados.
Não há memória do que é antigo, e nossos descendentes não deixarão memória junto daqueles que virão depois deles. [ECLESIASTES 1, 2-11]



sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

LEX PARSIMONIAE


LEX PARSIMONIAE: entia non sunt multiplicanda praeter necessitatem. (as entidades não devem ser multiplicadas além da necessidade).


"Se em tudo o mais forem idênticas as várias explicações de um fenómeno, a mais simples é a melhor" — William de Ockham

A Partícula de Deus


Parafusos espirais deixados por partículas subatômicas movendo-se em hidrogênio líquido na presença de um campo magnético.
Tudo se comporta como uma molécula, mas ao mesmo tempo, até que algo realmente seja absorvido existe vários estados de realidade simultaneamente. Em uma forma que realmente, absorve qualquer coisa, em qualquer parte do universo e altera. E essa coisa está envolvida em um relacionamento com todo o resto, ele também muda, instantaneamente. E é mais rápido que a velocidade da luz.
Nada é mais rápido que a velocidade da luz. É a verdadeira magia da vida. E o átomo é composto de elétrons, prótons e nêutrons. E prótons e nêutrons são feitos de quarks, e eles estão todos unidos pelos glúons. E os glúons nos bósons, e os bósons são partículas elementares, que são as forças fundamentais da natureza.
Por que estamos aqui?
Somos criaturas sensíveis envolvidas em um universo infinito. A extrapolação infinita de nossa evolução é nós mesmos nos tornarmos deuses. Ao longo do caminho devemos aprender o segredo.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Desmistificando

Não sei se é da compreensão de todos, mas atualmente contamos com 13 signos do zodíaco, sendo eles:

1º Capricórnio: 20/01 a 16/02
2º Aquário: 16/02 a 11/03
3º Peixes: 11/03 a 18/04
4º Áries: 18/04 a 13/05
5º Touro: 13/05 a 21/06
6º Gêmeos: 21/06 a 20/07
7º Câncer: 20/07 a 10/08
8º Leão: 10/08 a 16/09
9º Virgem: 16/09 a 30/10
10º Libra: 30/10 a 23/11
11º Escorpião: 23/11 a 29/11
12º Serpentário: 29/11 a 17/12
13º Sagitário: 17/12 a 20/01

A descoberta foi feita por astrônomos do planetário de Minnesota, nos Estados Unidos. Os descobridores afirmaram que por causa da atração gravitacional que a lua exerce sobre a Terra o alinhamento das estrelas foi empurrado por cerca de um mês, o que ocasionou o aparecimento do signo serpentário.
Os 12 signos que conhecemos (conhecíamos) hoje foram definidos há quase 3.000 anos, quando a astrologia começou, e desde então, sua posição em relação ao Sol mudou.
Ophiuchus, também conhecido como Serpentário, é um signo que já existia em algumas versões do zodíaco. Também há uma constelação com o mesmo nome.
O astrônomo Kunkle diz que conforme a Terra e o Sol se movimentam, os signos mudam. (Isso me lembrou do horóscopo chinês.).
Os serpentários são os nascidos de 29 de novembro a 17 de dezembro. No tradicional horóscopo, quando só existiam 12 signos, os nascidos nesse período eram os sagitarianos. As características dos serpentários ainda não foram definidas. (Agora tenho mais certeza que estas coisas de signos são todas invenções.).
Para o astrólogo José Armada, o surgimento do signo serpentário não é de agora. Segundo ele, este signo já existe há mais de 100 anos e nunca foi incluído no horóscopo por uma convenção. “Existem 12 meses, 12 horas, e por comodidade existiam apenas 12 signos”.
Armada ainda afirma que essa mudança não deve alterar em nada na interpretação dos mapas astrais, pois eles são formados a partir da posição do sol no céu. Em relação ao novo signo valer apenas para os que nasceram após 2009, o astrólogo diz que isso também não é real. “As pessoas mais impressionadas vão acreditar que a inclusão do serpentário vai influenciar”.
Essa mesma teoria é defendida pelo astrônomo Luiz Crispino. Ele explica que as estrelas que se agruparam em constelações sempre estiveram no mesmo local há muitos anos e não há nenhum surgimento inédito.
Para Crispino, o signo serpentário, fisicamente, não muda nada. “O ser humano é muito místico e por isso pode ser influenciado psicologicamente, mas os astros e as estrelas não têm qualquer influência física na vida”, garante. (Finalmente alguma coisa foi dita com coerência sobre os astros!).

Conclusão:
· Temos que ter uma nova saga de Cavaleiros do Zodíaco para acrescentar o tal Serpentário.
· Signos sempre foram inventados.
· Alguém irá me criticar por escrever tudo isso.



____
Obs: escrevi este texto adaptando algumas matérias lidas em: